Perguntas & Respostas - Fantasias com o psicólogo



"Fantasio cenas de sexo com o meu psicólogo"


Aqui fica mais um pedido de ajuda de um leitor do nosso BLOG.
Aproveite e dê o seu apoio através de um comentário!

Estes testemunhos são reais e poderão ajudá-l@ a compreender também os seus problemas...
PARTILHE AS SUAS EXPERIÊNCIAS ... AJUDE OS OUTROS !!!

(Nota: alguns destes pedidos serão publicados na Revista ANA de forma anónima)


“Ando a ser acompanhada por um psicólogo que considero extremamente dedicado e faz-me sentir muito especial. Acontece que começo a pensar que o que sinto por ele não é apenas uma relação paciente e terapeuta, pois chego a fantasiar cenas de sexo com ele. Será que isso é normal?”

A nossa resposta

Cara leitora, a relação terapeuta – cliente pode levar a sentimentos distorcidos pois muitas pessoas sentem-se, pela primeira vez, compreendidas por alguém que lhes dedica total atenção. Possivelmente, vê o seu psicólogo como alguém que lhe transmite confiança e é empático com a sua dor e pode estar a confundir isso com uma relação amorosa.

Avalie bem a situação, pois o sentimento que nutre pelo seu psicólogo poderá ser apenas o que existe entre um técnico dedicado e o seu paciente e, se a leitora não estiver habituada a ter alguém que lhe dedique atenção, pode estar a confundir o que de facto sente por ele.

Se sentir necessidade partilhe estes sentimentos com o seu psicólogo, pois um bom terapeuta saberá lidar com a situação de forma profissional ajudando-a a clarificar a natureza dos seus sentimentos.

Tenha consciência que o envolvimento amoroso, ou sexual, entre terapeuta e paciente é eticamente punível pela Ordem dos Psicólogos Portugueses.

Obrigado pela sua questão


Fernando Eduardo Mesquita
Psicólogo - Sexólogo Clínico
Tel: 969091221



UMA PARCERIA
TERAPIAS SEXUAIS
&




Veja outras questões dos nossos leitores aqui.
Veja outras respostas nos comentários e aproveite para deixar também a sua ajuda a este leitor.

Importante: se tiver alguma questão a colocar deverá enviar mail para: psicologiananet@gmail.com

Enviar um comentário