O Urso e a Panela

PARA PENSAR...

Um urso faminto perambulava pela floresta à procura de comida. A época era de escassez, porém, o seu faro aguçado sentiu o cheiro de comida que o conduziu a um acampamento de caçadores.

Ao chegar lá, o urso, percebendo que o acampamento estava vazio, foi até a fogueira, ardendo em brasas, e dela tirou um caldeirão de comida. Quando a panela já estava fora da fogueira, o urso abraçou-a com toda a sua força e enfiou a cabeça dentro dela, começando a devorar tudo.
Enquanto abraçava a panela, percebeu que algo o magoava.
Era o calor do caldeirão… ele estava a ficar queimado nas patas, no peito e em todos os lugares em que a panela se encostava.
O urso nunca tinha experimentado aquela sensação e, interpretou as queimaduras pelo seu corpo, como algo que queria lhe tirar a comida. Começou a urrar muito alto. 
E, quanto mais alto rugia, mais apertava a panela quente contra o seu corpo. Quanto mais a panela quente o queimava, mais ele a apertava contra o seu corpo e mais alto rugia.
Quando os caçadores chegaram ao acampamento, encontraram o urso caído próximo à fogueira, segurando a panela de comida. O urso tinha tantas queimaduras que a panela ficou agarrada ao seu corpo e, mesmo morto, mantinha a expressão de estar a rugir.


Conclusão:
É impressionante como algumas pessoas não têm consciência do sentimento de apego. Apegam-se a ideias, emoções, crenças, hábitos, objetos, pessoas, situações, mágoas, frustrações, doenças. O medo do desconhecido é tanto que ficam presas ao que lhes parece familiar e seguro. Referem-se a tudo com um sonoro pronome possessivo: o meu marido, a minha roupa, o meu emprego, a minha forma de pensar, o meu trauma, o meu fracasso, a minha depressão... etc. 
Na vida, por vezes, abraçamos certas coisas que julgamos ser muito importantes. Algumas delas fazem-nos gemer de dor, queimam-nos por fora e por dentro, e mesmo assim, continuamos agarrados a elas!
Temos medo de abandoná-las e esse medo provoca-nos ainda mais sofrimento e desespero.
Apertamos essas coisas contra os nossos corações e terminamos destruídos por algo que, muitas vezes, protegemos, acreditamos e defendemos.
Em alguns momentos da vida, é necessário reconhecer que nem sempre o que valorizamos tanto é realmente importante, muitas vezes agarramo-nos, com todas as forças, ao que nos causa apenas angústia e sofrimento…
Tenhamos o discernimento que o urso não teve.


TENHA CORAGEM!!! ... LIBERTE-SE DA SUA PANELA!!!



- Autor desconhecido -


VEJA TAMBÉM:

6 Atividades desportivas para melhorar a sua vida sexual


O prazer e a satisfação que sentimos na atividade sexual depende muito, entre outros fatores, do estado de desempenho físico de ambas as partes. E a prática de exercício físico, além de ser benéfica para a saúde, também o é para a nossa vida sexual. As qualidades que adquirimos e potenciamos com o desporto (flexibilidade, força, resistência, etc.) permitem-nos melhorar a técnica sexual e desfrutar de encontros íntimos de uma forma muito mais gratificante. 

Quer saber que atividades físicas são boas para melhorar o sexo?

Corrida: sair a correr ou caminhar rápido durante 30 minutos por dia, além de serem ótimos exercícios para prevenir doenças cardiovasculares e melhorar a circulação, também são ideais para libertar endorfinas, que ajudam a relaxar e favorecem o rendimento sexual. Para os homens, práticas como esta ajudam na prevenção da disfunção erétil e a desfrutar de ereções mais potentes e duradouras.

Aulas de aeróbica: Bem como aulas de spinning, dança, zumba, etc. Em geral todos os exercícios aeróbicos, são muito benéficos para a saúde sexual, pois ajudam a reduzir os fatores de risco vascular causadores de problemas relacionados com a lubrificação e a ereção. Os especialistas acrescentam ainda que o desenvolvimento de um bom trabalho aeróbico aumenta os níveis de dopamina, o que por sua vez aumenta o desejo sexual.

Natação: A natação é outra das melhores atividades físicas para melhorar o sexo. Nadar 30 minutos, dois ou três dias por semana, é uma prática que melhora a resistência física, o que se traduz num melhor rendimento sexual, relações mais prolongadas e orgasmos mais duradouros e prazerosos. Também ajuda a queimar gorduras e representa múltiplos benefícios à saúde em geral.

Yoga: A prática regular de yoga melhora, sobretudo, a flexibilidade, uma qualidade chave para desfrutar mais durante o sexo. Nesta atividade física trabalham-se todos os músculos do corpo, inclusivamente os da pélvis, a qual ajuda as mulheres a atingir orgasmos mais prazerosos e penetrações mais intensas. E não é apenas isso, o yoga também permite soltar a sua imaginação e aprender posturas novas e posições que pode pôr em prática nos momentos íntimos com o/a sua/seu parceira/o.

 

Pilates: Durante a prática de pilates a realização de exercícios específicos e localizados na região abdominal e na área pélvica conseguem fazer com que tenhamos um perfeito controle dos músculos nessa zona, favorecendo uma melhoria no suporte dos órgãos sexuais. Demonstrou-se que ao fim de doze semanas de prática de pilates se produz uma enorme melhora na excitação, desejo sexual, orgasmo e satisfação.

Dança de varão ou Pole Dance: A dança em uma barra de striptease converteu-se não só numa modalidade muito popular para se pôr em forma e moldar seu corpo, mas também para aumentar a autoestima, perder preconceitos e sentir-se muito mais sensual e confiante no momento no ato sexual. Além de surpreender sua parceria com uma dança muito sensual e movimentos bem sedutores, a dança de varão é uma das melhores atividades físicas que se podem praticar para usufruir de uma vida sexual plena.



Vi aqui: umcomo

VEJA TAMBÉM: 

Apanhadas na Net por vingança


O site Redditor TastyJams perguntou aos usuários sobre a divulgação de fotos nuas na internet, como as imagens chegaram à rede e como isso afetou a vida deles. Vários homens e mulheres afirmaram que partilharam fotografias íntimas online e relataram que  o ato não causou arrependimento ou repercussão na vida pessoal. No entanto, os entrevistados cujas imagens foram publicadas por vingança dos ex-parceiros foram mais propensos a sentirem vergonha, perturbação na vida social e problemas de confiança. As informações são do The Huffington Post.

Em seguida são apresentados cinco sentimentos relatados por vítimas de vingança de ex-parceiros, que viram fotos suas partilhadas na internet.

Humilhação: "o meu ex entrou na minha conta, pegou todas as fotos nuas que eu tinha enviado para o meu novo parceiro pelo messenger e postou para todos verem", contou um usuário. "Minha família e meus amigos viram, meu Facebook foi fechado por conta de nudez e demorou muito para voltar. Agora estou extremamente paranóica sobre minhas senhas e verifico os conteúdos religiosamente", acrescentou.

Preocupação com a segurança pessoal: especialmente quando postagens pornográficas por vingança são acompanhadas de informações pessoais como endereços de e-mail, nomes completos e números de telefone. Uma usuária disse não se sentir segura em sua casa depois de suas fotos nuas e informações serem partilhadas online.

Necessidade de vigilância: uma usuária terminou com o parceiro e ele possuía várias fotos nuas dela. “Eu acordava às 3h para ver meu e-mail, Facebook e pesquisava no Google para poder voltar a dormir. Em 2011, fiquei em pânico depois de ler um e-mail anônimo de que fotos minhas estavam circulando na internet."

Medo de ser observado durante o sexo: uma usuária disse que a preocupação de ser apanhada por alguém durante o sexo prejudicou a vida sexual com o parceiro. Eu confiscava todos os aparelhos eletrônicos, checava se o laptop estava desligado e procurava câmeras antes de ter relações sexuais.

Vergonha do corpo: uma mulher contou que um parceiro, tirou fotos dela de biquíni, sem ela saber, e partilhou com o pessoal da escola, o que a fez sentir vergonha do próprio corpo. Ela sofreu com o gozo dos colegas e sentiu desprezo pelo corpo por muitos anos depois disso.


Adaptado do original de: desejos e fantasias de casal


VEJA TAMBÉM:

Homens que amam demais


QUANDO ELES AMAM DEMAIS
Histórias de homens que procuram tratamento para amores doentios


Werther é o nome fictício de um vendedor de livros paulistano de 32 anos. Ele pediu para ser identificado ao longo desta reportagem com esse pseudônimo, em alusão a um dos mais emblemáticos personagens românticos da história da literatura, o protagonista do livro "O Sofrimento do Jovem Werther", do alemão Johann Wolfgang von Goethe, lançado em 1774. O romance, que segundo estudiosos tem traços autobiográficos, traz depoimentos sobre o exagerado amor que o rapaz sente por uma moça casada, Charlotte. Ao se dar conta de que a amada nunca será sua, Werther se suicida. O Werther brasileiro escolheu tal nome por identificar-se com o personagem. “Todas as vezes que me envolvo emocionalmente com uma mulher, me dou mal”, diz.

Nosso Werther, teve sua primeira namorada aos 10 anos, mas experimentou uma paixão de verdade aos 12. No dia da sua festa de aniversário, a menina lhe deu um presente às avessas. “De repente, ela estava beijando meu amigo na minha frente”, conta. “Fiquei apenas triste, nem consegui sentir raiva dela.” Namoro terminado, ela mudou de escola e ele deixou de vê-la. Namorou outras tantas vezes, mas diz que não conseguia envolver-se tão profundamente. 
Quando tinha 16, a ex-paixão dos 12 anos mudou-se com a família para o bairro onde Werther morava. Ao reencontro, sucederam-se visitas de um ao outro e muitas tardes lado a lado. Até que o primeiro beijo aconteceu – e logo Werther se viu perdido de amor novamente. Mas, se para ele era um namoro, para ela não passava de aventura. Em um fim de tarde em que eles estavam conversando na porta da casa dela – sentados meio longe um do outro –, um homem, lá pelos seus 30 anos, desceu do banco de carona de um carro, parou diante da casa e convidou a menina para uma festa que começava naquele momento. Ela aceitou, se despediu de Werther com um aceno e desceu a ladeira da rua de mãos dadas com o desconhecido. “Aquela cena nunca mais saiu da minha cabeça. E, depois disso, virei uma pessoa triste”, diz. 
Todas as histórias amorosas de Werther que vieram depois têm enredo parecido. Em geral, ele sente um amor intenso e platônico por mulheres comprometidas que não lhe dão reais chances de envolvimento. “Amo tanto que sou capaz de deixá-las livres”, justifica-se. Mas é justamente esse sentimento excessivo que as oprime e espanta. “Quando me declarei para a última por quem me apaixonei, ela disse que o que eu sentia era demais para ela”, lembra Werther. 
Dois séculos atrás, eu seria um poeta. Hoje, sou um doente.
Há cerca de quatro meses, ele foi procurar uma terapeuta para tratar do que descobriu ser um mal contemporâneo. Werther sofre de amor patológico, na classificação dos psiquiatras. Ou seja, é um típico “hade”, ou homem que ama demais. Assim como suas correspondentes femininas, as “madas”, mulheres que amam demais, os hades têm um modo bem específico de se relacionar. “Para eles, amar o outro demais é amar-se de menos. Não importa o sexo, aqueles que se enquadram nesse perfil têm autoestima baixa e depositam todas as energias e expectativas no outro, pois, sozinhos, não se bastam”, analisa a psicanalista Taty Ades, autora de "Hades – Homens Que Amam Demais" (Editora Isis). “Assim, acabam procurando relações nas quais se tornam dependentes emocionalmente dos parceiros.
Grupos de autoajuda de mulheres que amam demais já são antigos. Mas ainda está começando a onda daqueles que acolhem homens dispostos a compartilhar suas experiências de relacionamentos destrutivos. Nessas reuniões, homens e mulheres dividem histórias sobre relações tóxicas de todos os tipos. Pode ser um filho de uma mãe controladora, uma mulher que tem a vida cerceada pelo marido e também homens extremamente submissos e dependentes da mulher. 
Um dos fatores que ajudam a explicar a existência dos grupos de hades é o aumento do poder das mulheres na sociedade, que vem mexendo profundamente com os conceitos de masculinidade. Essa ascensão feminina está tirando os homens do seu posto soberano, o de provedor do lar, e minando, como consequência, a autoestima deles. Hoje, 37,4% das famílias brasileiras são chefiadas por mulheres, quase o dobro de 15 anos atrás. Outro ponto é que, mais educadas e ricas – e portanto mais livres –, já que estudam mais e trabalham em boas posições, elas ficaram mais exigentes. “As queixas relacionadas à vida amorosa estão entre as maiores angústias masculinas hoje”, diz o psiquiatra e psicanalista Luiz Cuschnir, especialista em questões masculinas. “Eles não conseguem atender às expectativas delas e se frustram.
Além disso, o macho contemporâneo não demonstra mais tanta resistência ao falar dos próprios sentimentos – em particular, entre iguais – como no passado. “Está se permitindo desabafar mais e adota um discurso de paixão e dependência que, até poucos anos atrás, era tipicamente feminino”, explica a psicanalista Taty. Embora existam reuniões que podem frequentar, o principal espaço de encontro dos caras que sofrem de amor patológico é a internet. A comunidade do Orkut “Hades – Homens que amam demais” tem 2,7 mil membros e uma descrição: Eles são humilhados, se culpam e sofrem, mas sempre justificam as atitudes da amada. Os integrantes da comunidade contam como se sentem ao longo do dia e trocam mensagens motivacionais. Também há fóruns de discussão que cumprem igual papel.

Mauricio, separado duas vezes, coleciona histórias de humilhação por parte de companheiras. Segundo conta, sua primeira mulher ganhava bem e ele, freelancer, ficava sem dinheiro em algumas épocas do ano. Ela fazia questão de tornar pública minha miséria, afirma. “Uma vez, fomos tomar sorvete com a família e eu não tinha um centavo no bolso. Pedi a ela que pagasse minha conta, de 4 reais, e ela se negou. Começou a gritar que, se eu não tinha dinheiro, que não tomasse o sorvete”, confessando que havia até agressão física em certas ocasiões. “Ela me batia. Quando ficava nervosa, me dava uns tapas.
Quatro dias depois, ele conheceu sua segunda mulher, 20 anos mais nova. “Foi paixão à primeira vista. Os sininhos divinos tocaram quando nos vimos e logo fomos morar juntos”, afirma. Os primeiros quatro anos do relacionamento foram saudáveis, até que ela fez uma viagem para o exterior. Lá, se apaixonou por um brasileiro e teve um caso com ele. Quando, à distância, Maurício descobriu a traição, a hoje ex pediu desculpa e disse que o amava. Perdoou. Mas ela voltou a se encontrar com o amante. Maurício descobriu novamente e a perdoou outra vez, desde que voltasse para casa. “Fui buscá-la no aeroporto com um balão em formato de coração e uma caixa de bombons. Quando ela saiu do saguão do desembarque, me deu um beijo no rosto e falou que estava cansada e queria ir para casa. Chegando lá, foi tomar banho. Entrei no chuveiro para fazer sexo oral nela e fui impedido. Disse: ‘Não faça isso. Transei com ele hoje de manhã’ ”, conta. Maurício chorou, gritou e xingou, mas perdoou a mulher outra vez. Quinze dias depois, flagrou uma ligação para o tal amante no exterior. Perdoou de novo e a relação durou outros quatro anos. “No fim, não transávamos, ela não falava aonde ia e não atendia meus telefonemas.” Em 2012, ela terminou o casamento. “Fiquei surpreso, pois dizia que me amava.” 
Estudiosos dos hades são unânimes quanto à origem da carência emocional. Em geral, esses homens tiveram relações complicadas com a mãe e transferiram o complexo para a vida amorosa. É um vício, e eles repetem o padrão, afirma Taty. “Diferentemente das madas, que costumam se ater a um só homem e ter uma relação doentia com ele, os hades acabam dependendo de diferentes parceiras ao longo da vida”, completa Victor Paulo. 
Texto de Maria Laura Neves, Revista Claudia

VEJA TAMBÉM:
- Relações complicadas - amo-te mas não digo
- Homens que não sabem amar
- Mulheres que afastam os homens
- Mulheres que amam demais

As 20 leis sexuais mais estranhas


As leis que protegem a população contra os crimes sexuais são muito importantes na legislação de qualquer país, mas existem algumas bem intrigantes que, apesar de não serem usadas em muitos dos casos, ainda fazem parte da constituição destes locais.

Segundo uma lista publicada pelo site medicalinsurance.org, o simples ato sexual pode-se tornar muito perigoso e levar da cadeia até a pena de morte. Mas, algumas leis, são tão absurdas que merecem destaque nesta lista das mais estranhas do mundo todo.



1) Há homens em Guam cujo emprego em tempo integral é viajar pelo país para deflorar virgens, que pagam pelo privilégio de ter sexo pela primeira vez. Razão: pelas leis de Guam, é proibido virgens se casarem.


 

2) A maioria dos países do Oriente Médio reconhece a seguinte lei islâmica: Depois de ter relações sexuais com um carneiro, é um pecado mortal comer a sua carne.



3) No Líbano, os homens podem ter relações sexuais com animais legalmente, mas os animais devem ser do sexo feminino. As relações sexuais com machos são puníveis com a morte.

  

4) Em qualquer lugar dos Estados Unidos é ilegal o uso de espécies de seres vivos em perigo, exceto insetos, em manifestação sexual pública ou privada, espetáculos ou exposições retratando sexo entre espécies. 



5) No Bahrain, um médico pode legalmente examinar a genitália feminina, mas é proibido olhar diretamente para ela durante o exame. Ele só pode ver seu reflexo em um espelho.



6) Em Hong Kong, uma mulher traída pode legalmente matar o marido adúltero, mas deve fazê-lo apenas com as próprias mãos. (A amante do marido, por outro lado, pode ser morta de qualquer outra maneira).



7) Em Santa Cruz, na Bolívia, é ilegal um homem ter relações sexuais com uma mulher e a  filha ao mesmo tempo.



8) No estado de Washington, há uma lei contra sexo com uma virgem em quaisquer circunstâncias, incluindo a noite de núpcias.



9) Em Cali, na Colômbia, uma mulher só pode ter relações sexuais com o marido, se a primeira vez que isso ocorrer, a mãe estiver no quarto para testemunhar o ato.



10) Nenhuma mulher pode ter relações sexuais com um homem enquanto este conduz uma ambulância dentro do perímetro de Tremonton, Uhta. Se estes forem apanhados, a mulher pode ser acusada de delito sexual e o 'seu nome será publicado no jornal local.' O homem não é cobrado, nem o seu nome será revelado.



11) Em Romboch, Virginia, é ilegal a atividade sexual com as luzes acesas.



12) Em Nevada, é contra a lei ter relações sexuais sem preservativo.



13) É ilegal para qualquer membro da Legislatura de Nevada, durante um ato oficial, vestir-se com uma fantasia de pênis enquanto o legislador estiver em sessão.



14) No Arizona, Flórida, Idaho, Indiana, Massachusetts, Mississippi, Nebraska, Nevada, New York, Ohio, Oklahoma, Oregon, Dakota do Sul, Tennessee, Utah, Vermont, Washington e Wisconsin, a ereção que pode ser vista através da roupa de um homem é ilegal.



15) É proibido que um marido faça sexo com a esposa se seu hálito cheira a alho, cebola ou sardinha, em Alexandria, Minnesota. Se a esposa reclamar do fato, a lei diz que ele deve escovar os dentes.



16) Em Minnesota, é ilegal para qualquer homem ter relações sexuais com um peixe vivo. (Aparentemente, as mulheres estão liberadas).



17) Os muçulmanos não podem olhar os genitais de um cadáver. Isto também se aplica aos funcionários da funerária. Os órgãos sexuais do defunto devem estar sempre cobertos por um tijolo ou pedaço de madeira o tempo todo.



18) Uma portaria, em Wyoming,Newcastle, proíbe os casais de fazerem sexo em pé dentro de uma loja frigorífica de carne.



19) A penalidade para a masturbação na Indonésia é a decapitação.



20) Nos hotéis em Sioux Falls Dakota, cada quarto é obrigado a ter duas camas individuais, e as camas devem ficar a uma distância mínima de 60 centímetros quando um casal aluga o quarto para apenas uma noite. E é ilegal fazer sexo no assoalho entre as camas.


Fonte: terra.com.br


VEJA TAMBÉM:

KEGEL - A musculacao do penis


Aumentar as capacidades e melhorar o desempenho é um dos desejos mais generalizados dos homens no plano sexual, e apesar do mercado estar cheio de pílulas e tratamentos médicos para consegui-lo, ainda há ferramentas da velha escola que funcionam muito bem, como é o caso do método Kegel. Quer saber mais?  

O músculo pubococcígeo, conhecido simplesmente como músculo PC, é o que usamos para contrair o fluxo de urina e, por sua vez, o mesmo que apresenta espasmos involuntários durante o orgasmo; portanto, exercitá-lo irá ajudá-lo a ter ereções mais fortes e duradouras, bem como a aumentar o prazer sexual.

Em primeiro lugar deverá identificar o músculo - quando for ao WC interrompa a urina, sem apertar as nádegas nem forçar nenhuma outra parte do corpo; concentre a tensão somente na sua bexiga, este é o músculo que deverá treinar.

Depois de identificado o musuculo, pode exercitá-lo enquanto urina ou em qualquer outro momento do dia; é só contrair a bexiga durante três segundos e soltar.

Repita este exercício 10 vezes, e tente realizar três séries (30 exercícios) em diferentes momentos do dia.

Depois de umas duas semanas aumente o tempo da contração para quatro ou cinco segundos, e tente também incrementar a quantidade de vezes e o número das séries.

Para ver resultados, deve exercitar-se diariamente. A maioria dos homens começa a notar as melhoras entre a quarta e a sexta semana, mas podem passar inclusive três meses até começar a notar os efeitos.

O músculo PC é como qualquer outro músculo do corpo; demora a fortalecer-se e tonificar-se, mas uma vez que consegue, poderá desfrutar de ereções mais duradouras, orgasmos mais intensos e de um maior prazer.


VEJA MAIS EM:


Psicólogo - Sexólogo Clínico
Tel: 969091221


10 BENEFICIOS DO SEXO


É MELHOR PARA O CÉREBRO DO QUE FAZER PALAVRAS CRUZADAS


A afirmação é de Barry Komisaruk, pesquisador da Universidade Rutgers, no estado de Nova Jersey, Estados Unidos. Por meio de seu estudo, ele concluiu que, durante o orgasmo ou clímax sexual, há um aumento no fluxo de sangue, fazendo com que mais nutrientes e oxigénio cheguem ao cérebro. E enquanto os exercícios mentais, como palavras cruzadas e sudoku, aumentam a atividade cerebral em regiões localizadas, o orgasmo ativa o cérebro como um todo.


AJUDA A FORTALECER O SISTEMA IMUNOLÓGICO



Um estudo feito pela Universidade Wilkes, nos Estados Unidos, constatou que as pessoas que mantêm relações sexuais uma ou duas vezes por semana melhoram o seu sistema imunológico em 30%. Isso deve-se ao aumento da imunoglobulina A no organismo, que protege contra constipações e infecções.



AJUDA A MELHORAR AS DORES DE CABEÇA



Pesquisadores da Universidade de Münster, na Alemanha, descobriram que o sexo não precisa mais ser evitado por conta de dores de cabeça. Na verdade, a atividade sexual ajuda a aliviar esse desconforto. Entre os 400 entrevistados pela pesquisa, 60% dos pacientes com enxaqueca e 36% dos que tinham cefaleia sentiram-se melhor depois da relação sexual. Isso deve-se ao fato de que, durante o sexo, há um aumento na produção de endorfina, substância que ajuda a aliviar qualquer tipo de dor.



TORNA O CORAÇÃO DO HOMEM MAIS FORTE



Quatro mil homens foram avaliados numa pesquisa feita pela Universidade de Florença, na Itália, que constatou menos problemas no coração e mais tempo de vida para aqueles que mantiveram uma vida sexual ativa até ali. Os cientistas envolvidos na pesquisa explicam que o sexo estimula a produção de testosterona, hormona que pode atuar como protetor do sistema cardiovascular


MELHORA A APARÊNCIA DA PELE 



Pessoas na faixa dos 40 anos que mantêm relações sexuais pelo menos três vezes por semana têm uma aparência mais jovem. A afirmação é de pesquisadores do Hospital Royal Edinburgh, na Escócia. Os estudiosos acreditam que esse resultado deve-se à hormona DHEA, libertada durante o sexo e produzida pelas glândulas suprarrenais. Ela pode aumentar a produção de colágeno e, como consequência, reduzir as rugas.


AJUDA A DORMIR MELHOR 



Durante o orgasmo, o corpo liberta endorfina, substância que causa sensação de bem-estar e induz ao relaxamento e ao sono. De acordo com a educadora sexual Laura Berman, professora da Escola de Medicina Feinberg, da Universidade Northwestern, em Chicago, essa é a única atividade física que se pode praticar antes de dormir.



FORTALECE VÍNCULOS ENTRE AS PESSOAS



O sexo aumenta os níveis de oxitocina no organismo, a hormona do amor, que faz com que as pessoas se sintam mais conectadas umas com as outras. Segundo a pesquisadora Debra Herbenick, da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, se o sexo for feito pela manhã, o casal irá sentir-se mais próximo durante o dia todo.

  
AJUDA A CONTROLAR "NEUROSES" NAS RELAÇÕES 


Pesquisadores da Universidade do Tennessee, nos Estados Unidos, acompanharam 72 casais ao longo dos primeiros quatro anos de casamento. E descobriram que para aqueles considerados neuróticos na relação - que se irritavam facilmente, mudavam de humor frequentemente e estavam sempre preocupados -, a atividade sexual regular trouxe um incrível benefício: transformou-os em cônjuges mais felizes e realizados.


REDUZ O STRESS 


Um estudo conduzido pela Universidade do Oeste da Escócia, na cidade de Paisley, constatou que fazer sexo é capaz de baixar a pressão sanguínea. Durante a pesquisa, os voluntários fizeram um diário das suas atividades sexuais por duas semanas. A pressão deles também era monitorada em diferentes momentos do dia. O estudo mostrou que, ao fazer sexo, a medida baixava. A explicação é que a produção de hormonas calmantes aumenta muito durante a relação, influenciando de forma positiva a pressão.


TORNA AS PESSOAS MAIS FELIZES


Foram avaliadas mulheres na faixa dos 40 anos durante 36 semanas, por pesquisadores da Universidade do Estado do Arizona, nos Estados Unidos. O estudo mostrou que quando elas se aproximavam fisicamente do parceiro - abraçavam, beijavam e mantinham relações sexuais - apresentavam uma significativa melhora no humor. O bem-estar proporcionado pela atividade também as fazia querer repetir a dose no dia seguinte, contribuindo para a instalação de um círculo virtuoso envolvendo o casal.




Animais Extraordinarios no Utero

As fotografias fantásticas que se seguem, e que parecem ser de outro mundo, foram criadas por Peter Chinn, no âmbito do documentário da National Geographic, Extraordinary Animals in the Womb, ou em português, ‘Animais Extraordinários no Útero.’ As imagens, que mostram diferentes animais ainda em formação, são de uma beleza incrível, embora possam dar arrepios pela improbabilidade e raridade.
Mas elas não são completamente reais. Foram produzidas com a ajuda de ecografias, pequenas câmaras e gráficos gerados por computador, acabando por se tornar naquilo que de mais fantástico há em termos do que acontece no útero de diferentes animais. Apesar de não poderem ser consideradas fotografias, são extraordinariamente próximas da realidade.
Os vossos amigos merecem também ver estas maravilhosas imagens, mas para além disso, peço-vos uma partilha deste artigo para demonstrarem o vosso respeito pelos animais. 



ELEFANTE

URSO POLAR

COBRA NO OVO

GOLFINHO

LEOPARDO

PINGUIM NO OVO

CHIHUAHA


MORCEGOS

CAVALO




Forma de dormir e estado da relação


Já notou que, após uma zanga, costuma dormir de costas para o companheiro/a? Ou que, depois de um dia mais romântico, você e o seu par dormem com os corpos entrelaçados?

De acordo com especialistas, o momento que se vive na relação pode ser refletido na posição que o casal dorme. Para o psicólogo e mestre em cognição e linguagem João Oliveira, autor de “Saiba Quem Está à sua Frente” (Ed. Wak), é preciso observar a posição em que o casal está ao amanhecer, já que as escolhidas ao deitar raramente são as mesmas após um breve cochilo.


 DE COSTAS PARA O OUTRO, MAS ENCOSTADOS

Um casal que costuma dormir nesta posição preserva o seu espaço sem perder o contato. “São pessoas dinâmicas, que têm vidas independentes, mas têm uma relação estável e saudável”, afirma João Oliveira. De acordo com o especialista em linguagem corporal Paulo Sergio de Camargo, essa posição revela que há confiança na relação e que um necessita da presença do outro. “Parece que o casal está colocado diante de um espelho. Essa simetria mostra que os dois estão em sintonia. Existe a necessidade da presença do outro. O tempo de afastamento entre os dois é curto”, afirma Camargo.


DE COSTAS E AFASTADOS

Se vocês têm dormido nessa posição, é sinal que algo pode estar errado na relação. De acordo com João Oliveira, ela revela a necessidade de afastamento e mais liberdade na vida a dois. “A falta de contato e os corpos em direções opostas podem sinalizar uma forte disputa de espaços ou total independência do outro”, afirma. De acordo com Paulo Sergio de Camargo, se as mãos estiverem fechadas e o corpo tenso, é sinal de que o casal não quer se comunicar após uma briga. Já se o corpo estiver solto, é sinal de que não há tensão no relacionamento. Nesse caso, a posição pode indicar confiança no par e respeito ao espaço do outro.


DE FRENTE PARA O OUTRO, MAS SEM TOQUE

O casal que dorme nesta posição quer intimidade e tem necessidade de observar o par, mas sabe respeitar o espaço alheio e tende a sentir menos ciúmes. “Eles sabem lidar com a rotina e com os problemas cotidianos e respeitam os momentos de isolamento do par, sem nunca se distanciar”, afirma. João Oliveira acredita que esse casal vive um bom momento em sua relação. “Mesmo que não exista o toque, o simples fato de todo o corpo estar voltado para o outro significa aceitação do outro como parte de si mesmo. Provavelmente são dois grandes amigos e companheiros e a vida sexual é bastante ativa”.


ENTRELAÇADOS

Esta posição é sinal de desejo ardente e de uma paixão muito forte. “Ela é muito comum no início de uma relação e costuma ocorrer quando ambos caem no sono após o sexo, ainda na
intenção de serem um corpo só”, diz João Oliveira. Segundo Ronaldo Antonio Cavalli, os braços abertos são sinal de proximidade. Já o entrelaçamento das pernas, de acordo com Paulo Sérgio de Camargo, revela o desejo sexual. Para ele, é possível que o casal que durma nessa posição sofra com o ciúme.


CONCHINHA

A pessoa que abraça tende a guiar o outro na relação e protegê-lo, e o par sente-se confiante e confortável ao lado dele. “Talvez seja a posição que mais indica a perfeita harmonia em que o casal vive. Os corpos se transformam em apenas um, existe paixão e necessidade de estarem grudados”, afirma Paulo Sérgio. Mas, segundo o especialista João Oliveira, essa postura também pode surgir quando há insegurança na relação. “Não se engane pensando que quem dorme nessa posição sempre está em um momento ótimo. Ela também pode ser uma tentativa de segurar o outro numa relação que não está boa”.


ABRAÇADOS

O entrelaçamento revela comprometimento, amor e carinho entre o casal. “Essa posição revela bom entrosamento. A relação está em um momento excelente e a vida sexual deve estar ótima”, afirma João Oliveira. Segundo ele, aquele que busca abrigo no ombro do outro demonstra profundo afeto pelo parceiro. De acordo com Paulo Sergio de Camargo, a cabeça no ombro é um indicativo de que a pessoa se sente bastante segura com o par –que, provavelmente, domina a relação. “Os braços envolvidos nela ampliam o desejo de proteção”, afirma ele.


O ESPAÇOSO E A ENCOLHIDA

Esta posição não é boa para o casal. “A pessoa espaçosa na cama não demonstra afeto e carinho pelo parceiro. Ela busca mais espaço como uma forma de autoafirmação na relação”, afirma João Oliveira. Para ele, essa posição revela que a relação passa por um momento conturbado, no qual a pessoa que ocupa mais espaço se sente inseguro e com baixa autoestima, enquanto a pessoa em posição fetal virada para o par é alguém que ainda acredita no sucesso do relacionamento. Além disso, de acordo com o especialista Paulo Sergio de Camargo, dormir sobre estômago e com as mãos acima da cabeça indica teimosia, persistência e necessidade de dominar e controlar demais o ambiente em que vive.


CADA UM EM SEU ESPAÇO, COM PÉS ENTRELAÇADOS

Se você se vê nessa posição, é sinal de que vocês se amam, mas a relação precisa de mais atenção, afirma João Oliveira. “Há um misto de paixão e divergências no relacionamento. Pode ser que o casal viva um momento de ansiedade, mudança de rotina ou pressões no trabalho”. De acordo com Paulo Sergio de Camargo, quem dorme de costas (nessa ilustração, o homem) é porque não sente necessidade de ver a parceira. Já dormir sobre o estômago e com as mãos acima da cabeça (mulher) revela teimosia e necessidade de controlar o ambiente em que se vive. Para o especialista Ronaldo Antonio Cavalli, como há o contato dos pés, ainda há comprometimento com o outro e cumplicidade entre o casal. “Sendo o pé a área corporal mais inconsciente em seus movimentos, há uma declaração de amor subliminar e verdadeira nessa postura de dormir”, diz Oliveira.


CADA UM EM SEU ESPAÇO, MAS UM TOCANDO O OUTRO

Uma posição de dormir como essa revela um relacionamento bastante espontâneo. “Cada um respeita o espaço do outro. Eles podem ter amigos e atividades separadas, mas a confiança é mútua”, afirma Paulo Sérgio de Camargo. De acordo com ele, a mão estendida revela intenção de proteger e tomar conta da parceira, mas sem exagero. Já o rosto dela voltado para o homem revela confiança nele, enquanto suas mãos embaixo do rosto mostram que ela está confortável na presença dele. Para o especialista João Oliveira, a demonstração de afeto por parte dela e a mão dele sobre ela, como se ele procurasse descobrir se está tudo bem, podem ser indicativos de que a posição é consequência de uma tentativa de reaproximação.


DE COSTAS, MAS COM O PAR TOCANDO-O

De acordo com Paulo Sergio de Camargo, o afastamento mostra que o casal deseja liberdade, mas a mão esticada e apoiada sobre ela revela que ele a quer por perto e quer senti-la. “No caso dele, é quase uma necessidade tocar, sentir a parceira”, diz o especialista Ronaldo Antonio Cavalli. Para João Oliveira, nesse caso, o homem é mais carente e se preocupa com o rumo que o relacionamento está tomando. “Existe afeto, mas o nível não está tão bom quanto antes. Ela, com sua postura à frente, deve estar em um bom momento profissional, com autoestima elevada, e ele busca apoio e carinho nela”, afirma.