Sexo ou Chocolate ?


"Será possível gostar mais de chocolate do que de sexo?"

Aqui fica mais um pedido de ajuda de uma leitora do nosso BLOG.
Aproveite e dê o seu apoio através de um comentário!

Estes testemunhos são reais e poderão ajudá-l@ a compreender também os seus problemas...
PARTILHE AS SUAS EXPERIÊNCIAS ... AJUDE OS OUTROS !!!

(Nota: alguns destes pedidos serão publicados na Revista ANA de forma anónima)


“Há dias, em conversa com amigas, descobri que todas elas preferiam comer chocolate, a ter uma noite de sexo. Achei impressionante e fiquei na dúvida o que faria levar a esta preferência.”

C.M.- Guimarães


A nossa resposta

Cara leitora,

a preferência das suas amigas não é muito diferente da verificada em diversos estudos. Quando questionadas sobre o que consideram irresistível, cerca de 80% das mulheres, refere o chocolate, relegando o sexo para um modesto 5º lugar!

O chocolate possui compostos como a dopamina, a serotonina e a feniletilamina que são substancias produzidas também ao longo da resposta sexual, particularmente na fase de orgasmo, e que proporcionam uma sensação de bem-estar. Esta é a razão porque, muitas vezes, o chocolate serve de compensação nos desgostos amorosos e como afrodisíaco, ou parte dos jogos de sedução, nos casais. No entanto, o chocolate não substitui o prazer sexual e apesar da sua ingestão provocar o aumento de concentração de feniletilamina no sangue, dificilmente atingirá o patamar de prazer e bem-estar provocado por um orgasmo.

Embora numa fase inicial, as sensações provocadas pelo chocolate possam substituir a falta de sexo, pois a feniletilamina controla a passagem da fase do desejo sexual para a fase seguinte, da emoção e do afeto propriamente dito, o organismo desenvolve tolerância aos efeitos da feniletilamina e, com o passar do tempo, torna-se necessária uma maior quantidade do composto para provocar o mesmo efeito. A menos que estas pessoas passem a consumir “doses industriais” de chocolate nunca ficarão saciadas. Esta substância tem um efeito de tal forma positivo no corpo que pode víciar. Além disso interfere na mesma zona cerebral que a cocaína e a heroina.

Cara leitora apesar de tudo o que foi dito, aqui para nós, será que os resultados destes estudos, e a conversa das suas amigas, não está influenciada por aspetos culturais onde, infelizmente, a ideia que a mulher deve controlar os seus impulsos sexuais ainda permanece?

Obrigado pela sua questão

Psicólogo - Sexólogo Clínico
Tel: 969091221


Veja outras questões dos nossos leitores aqui.
Veja outras respostas nos comentários e aproveite para deixar também a sua ajuda a este leitor.

Importante: se tiver alguma questão a colocar deverá enviar mail para: psicologiananet@gmail.com
Enviar um comentário