Sexo na gravidez


"A mulher deve aceitar as mudanças do seu corpo
e desfrutar do acto de fazer amor"


"Algumas mulheres podem sentir-se gordas e pouco atraentes. É importante que nesta fase procurem estabelecer uma auto-imagem física mais positiva", afirma o sexólogo Fernando Mesquita. Este não foi o caso de Sylvie Dias, mãe de Afonso, de 10 meses: "Foi a altura em que mais me senti mais bonita, imensas vezes ficava a namorar o meu corpo em frente ao espelho", conta a actriz ao 24horas.

Mas quando isso não acontece, o especialista refere que as mulheres "devem falar com amigas que tenham passado pela mesma situação para saber o que elas passaram e sentiram nessa altura. Não se podem esquecer de partilhar esses sentimentos com o parceiro para que ele perceba o que ela está a passar e que não exista um afastamento progressivo".

Cuidados a ter

Esta auto-estima é uma das preocupações dos médicos durante uma gravidez. Os casais demonstram ainda algumas dúvidas quanto ao relacionamento sexual. "Salvo as situações em que o médico considera que existe algum tipo de risco, um casal pode levar uma vida sexual normal. Os últimos três meses tendem a ser os mais complicados, mas apenas porque existe um aumento de volume por parte da mulher, esta poderá sentir-se mais cansada e a sua mobilidade diminuir", explica o sexólogo.

Sem querer expor demasiado a sua vida intima, Sylvie Dias revela que durante a gravidez as palavras sexy e sensual não são as mais apropriadas: "Sentia-me bonita mas acho que sexy e sensual não serão bem as palavras certas. Acho que essa é uma imagem demasiado forte para uma grávida", diz, acrescentado que na vida intima a gravidez "decorreu normalmente".

Na sexualidade do casal, Fernando Mesquita aponta alguns cuidados a ter: "As relações sexuais e o orgasmo são seguros no início da gravidez. Devido ao aumento de determinadas hormonas, algumas mulheres podem sentir dor nos peitos durante o primeiro trimestre. Se for esse o caso, para que os momentos íntimos não se tornem desagradáveis, deverão falar com o parceiro para que ele evite estimular os peitos e tome mais atenção a outras zonas erógenas. A posição de missionário (homem por cima) deve ser evitada se o homem for muito pesado e poderá tornar-se difícil depois do quarto mês".
.
Entrevista dada a Andreia Caturna Martins, Jornal 24 horas (05/04/2010)
Enviar um comentário