- MITOS & FACTOS - Disfunção Eréctil





A sexualidade é um dos temas mais fascinantes e frequentes nos jantares de amigos mas, ao mesmo tempo, um dos que está mais envolto em mitos e crenças erróneas. Seguidamente, são apresentados seis dos mitos mais frequentes sobre a Disfunção Eréctil (DE) e alguns factos que poderão ajudar a dissipar esses rumores.


1º Mito

Depois de certa idade é inevitável a DE e, por isso,
os homens mais velhos devem limitar-se a aprender a viver com ela

Facto: Embora a DE seja mais frequente nos homens mais velhos, isso não a torna "normal", ou algo com que se tenha de sujeitar a viver. Com o avançar da idade, é frequente serem necessários mais estímulos para se conseguir uma erecção do que quando se é mais novo. Porém, não há nenhuma razão para que tenha de aceitar a DE como uma das consequências inevitáveis do envelhecimento. A DE nos homens mais velhos deve-se, essencialmente, a efeitos associados a problemas de saúde, medicação e estilos de vida, do que da própria velhice. A maioria dos homens saudáveis tem erecções até morrer, e você pode ser um deles!

2º Mito

A DE é apenas um problema dos homens mais velhos,
portanto não afecta os homens mais jovens

Facto: Embora a disfunção eréctil possa ser mais frequente nos homens depois dos 75 anos, podem existir dificuldades de erecção em qualquer idade.



3º Mito

A DE pode ser perturbadora mas não há qualquer perigo se surgir

Facto: Embora a DE em si não seja necessariamente perigosa, muitas vezes é um dos primeiros sinais de alerta para outros problemas de saúde subjacentes que podem ser bastante graves. Um dos problemas de saúde associados mais comuns é a Diabetes. As dificuldades de erecção também podem ser um sintoma para problemas cardíacos, tais como a hipertensão (pressão arterial elevada) ou aterosclerose, bem como desequilíbrios hormonais e problemas neurológicos tais como a doença de Parkinson.

Por isso é essencial consultar o seu médico se notar dificuldades de erecção persistentes. Um exame médico minucioso poderá, não só, ajudá-lo a identificar a causa da DE e encontrar um tratamento adequado para que tenha uma vida sexual mais activa, mas também poderá alertá-lo para uma condição de saúde que necessita de tratamento médico urgente.

IMPORTANTE: é normal existirem dificuldade erécteis em diversos momentos da vida de um homem. Apenas deverá ficar preocupado e ter em conta esta recomendação se as suas dificuldades de erecção forem recorrentes e persistentes!


4º Mito

Se não tiver erecção é porque não está atraído pelo/a parceiro/a

Facto: Existem diversas razões responsáveis pelas dificuldades erécteis. Embora a falta de atracão sexual por um parceiro possa ser um deles, na verdade é muito mais provável que seja outra a causa. A DE pode ter origem em diversos factores, tais como:

• Problemas cardíacos, tais como pressão arterial elevada e aterosclerose
• Diabetes – cerca de 35% a 50% dos homens com diabetes apresenta dificuldades erécteis
• Alguma medicação para a pressão arterial, ansiedade e depressão
• Doenças neurológicas, tais como a doença de Parkinson e Esclerose múltipla
• Desequilíbrios hormonais (baixos níveis de Testosterona, por exemplo)
• Humor ou problemas emocionais, como stress, ansiedade e depressão
• Hábitos de vida, tais como beber álcool e tabaco
• Certos tipos de cirurgia da próstata e bexiga



5º Mito

Se tiver disfunção eréctil tenho de tomar comprimidos o resto da vida

Facto: Há muitas opções para o tratamento da DE:

- Os medicamentos aprovados especificamente para o seu tratamento são eficazes para muitos homens. Estes incluem medicamentos tomados por via oral (Viagra®, Cialis®, Levitra®), injectados directamente no pénis (Caverjet®; Prostaglandina E1), ou inseridos na uretra (MUSE ®- Medicated Urethral System for Erection; Alprostadil Transuretral).


Exemplo de aplicação de Prostaglandina E1

- Existem também Dispositivos de Vácuo e Tratamentos Cirúrgicos que podem ser úteis para homens com dificuldades erécteis.

- Como a DE pode-se dever a uma condição médica subjacente como aterosclerose ou pressão arterial elevada, o tratamento da doença pode ajudar a aliviar as dificuldades erécteis.

- Se suspeita que está a tomar um medicamento que lhe provoca dificuldades de erecção, fale com o seu médico sobre a possibilidade de mudar para outro fármaco. ATENÇÃO: Não pare de tomar qualquer medicamento antes de falar com seu médico!

- Deve fazer algumas mudanças de estilo de vida pouco saudáveis. Parar de fumar, perder peso, ou diminuir o consumo de álcool pode ajudá-lo a melhorar significativamente as suas erecções.

- A Terapia Sexual continua a ser um método bastante eficaz em grande parte das situações.



6º Mito

É possível tratar a disfunção eréctil recorrendo
apenas a remédios de ervas e suplementos

Facto: Existem diversos riscos se optar por tomar suplementos para a DE. O conteúdo exacto de muitos dos suplementos vendidos para a DE não é conhecido, e é possível que possam conter compostos perigosos ou ingredientes que podem interagir com outros medicamentos que esteja a tomar.

Além disso, muitos sites não alertam sobre os potenciais riscos e efeitos colaterais de tomar os remédios que vendem. E, claro, tomar suplementos sem falar com o seu médico significa que não estão a ser examinado para doenças como diabetes e doenças cardíacas que podem contribuir para a DE.

A melhor opção para o tratamento, com sucesso, da DE é consultar o seu médico, que, caso considere necessário, poderá encaminhá-lo para um especialista.


Texto adaptado do original de Louisse Chang, WebMD


 
Veja aqui outras informações sobre Disfunção Erectil


Fernando Eduardo Mesquita
Psicólogo/Sexólogo Clínico
Tel: 969091221

Enviar um comentário