Perguntas & Respostas - Nunca namorei




"Tenho 13 anos e nunca namorei"

Aqui fica mais um pedido de ajuda de uma leitora do nosso BLOG.
Aproveite e dê o seu apoio através de um comentário!

Estes testemunhos são reais e poderão ajudá-l@ a compreender também os seus problemas...
PARTILHE AS SUAS EXPERIÊNCIAS ... AJUDE OS OUTROS !!!


(Nota: alguns destes pedidos serão publicados na Revista ANA de forma anónima)

"Tenho 13 anos e nunca namorei.
Todas as minhas amigas já namoraram ou beijaram um rapaz, eu não encontro nenhum rapaz que ache interessante nem nenhum se interessou por mim.
Começo a ter medo que eu não seja normal."
Existe algum tipo de risco?"


A nossa resposta


O que não é normal é teres medo, por não teres iniciado a tua vida amorosa na mesma idade que algumas das tuas amigas. O primeiro amor surge naturalmente, geralmente, quando menos se espera. Não existe uma idade certa para as pessoas terem a primeira paixão, namoro ou início da vida sexual.

Por ser uma mistura muito subjectiva de sensações é difícil descrever o que é estar apaixonado. Mas, certamente que quando aparecer “alguém especial”, e esse sentimento te “tocar à porta”, vais reparar que sentes algo de diferente por essa pessoa. A paixão é um sentimento que não tem que ver com a razão, foge a todas as lógicas e, por isso, não podes forçar-te a ficar apaixonada por alguém que não desejas.

Por vezes, quanto mais uma pessoa deseja começar a namorar mais difícil se torna, pois deixa de agir naturalmente por sentir uma grande pressão nesse sentido que, se não acontecer, apenas serve para aumentar a sua frustração. A melhor opção é agires naturalmente e não te sentires pressionada a fazer algo só porque algumas das tuas amigas o fazem.
 
Obrigado pela questão,


Fernando Eduardo Mesquita
Psicólogo - Sexólogo Clínico
Tel: 969091221



Veja outras questões dos nossos leitores aqui.
Veja outras respostas nos comentários e aproveite para deixar também a sua ajuda a este leitor.

Importante: se tiver alguma questão a colocar deverá enviar mail para: psicologiananet@gmail.com
Enviar um comentário