Mapa do Prazer Feminino



O psicólogo americano Barry Komisaruk, da Universidade Rutgers, procurou estudar o que acontece na cabeça das mulheres, no momento do orgasmo. Participaram neste estudo 11 mulheres, com idades entre os 23 e os 56 anos.

Recorrendo a um aparelho de ressonância magnética, avaliaram-se as áreas cerebrais que eram ativadas quando as mulheres tocavam na vagina, no clitóris e no colo do útero, com os dedos ou brinquedos sexuais. As imagens do funcionamento do cérebro das mulheres foram publicadas no jornal da Sociedade Internacional de Medicina Sexual e ganharam o apelido de “mapa do prazer feminino”.

Segundo os investigadores, os estímulos na vagina e no clitorís acionam áreas cerebrais diferentes, o que provaria que os orgasmos ligados a essas duas regiões não são iguais. “Ao contrário do que dizem muitos sexólogos – que o clitorís é responsável pela maior parte do prazer feminino –, os estímulos vaginais também produzem ativações fortes no cérebro”, disse Komisaruk.

A conclusão mais interessante do estudo é sobre a sensibilidade dos mamilos, uma área frequentemente menosprezada. Os pesquisadores descobriram que a estimulação dos mamilos ativa as mesmas zonas cerebrais ativadas pelo toque na região genital, embora com uma intensidade menor. Isso explicaria por que algumas mulheres, segundo relatos colhidos pelos cientistas, conseguem ter orgasmos apenas pela estimulação dos mamilos.

Adapatado do original de Humberto Maia Junior, revista Epoca
Enviar um comentário