Voltar a casar com o ex-marido


"Quando isto acontece, o casal deve estar preparado
para uma relação totalmente nova"

O divórcio deve ser aproveitado para descobrir o que havia de errado na relação, diz Fernando Mesquita sobre pessoas que casam com o antigo parceiro pela segunda vez. O terapeuta diz que esta situação acontece, mas não é comum, e lembra que no segundo casamento espera-se que os casais estejam mais conscientes da relação "Caso contrário, estão quase que condenados a uma nova separação".

"Para a relação dar certo é necessário muito diálogo, que sejam honestos com o outro e com eles próprios, e que não evitem falar dos assuntos mais difíceis, mesmo que isso signifique momentos de grande sofrimento para ambos", afirma.

Para o psicólogo, há muitos motivos que levam os casais a dar uma segunda oportunidade à relação e a voltarem a dar o nó: "O medo da solidão, de ficar sozinho ou sem ninguém, principalmente depois de uma certa idade; a esperança de que o outro tenha mudado; a existência de filhos; ainda querer acreditar nos "sonhos construídos" a dois; segurança financeira/económica; o afastamento levá-los a acreditar que o ex afinal era a pessoa certa; encarar uma nova relação com alguém desconhecido como algo de ameaçador" são alguns dos factores que, de acordo com Fernando Mesquita, podem reatar um casamento que tinha sido destruído.

O terapeuta acrescenta ainda que o casal deve encarar a relação como um novo recomeço: "Pode haver uma fase inicial de namoro, tal como nas outras relações. Não podemos esquecer que estas duas pessoas estiveram durante um período afastadas e que isso pode ter dado origem a novas amizades, relações amorosas, passatempos e interesses novos. Portanto, embora já tenham tido um passado em comum, este é um novo casal, com duas pessoas com experiências novas."


Entrevista dada a Andreia Caturna Martins, Jornal 24 horas (29/03/2010)

Enviar um comentário